Pesquisa mostra que cães estão sujeitos a mais inflamações no envelhecimento


Um novo estudo, publicado em 06 de novembro de 2017, no Jornal de Gerontologia: Ciências Biológicas (Journal of Gerontology: Biological Sciences), mostra que os sistemas imunológicos dos cães mudam à medida que envelhecem, o que significa que eles terão uma capacidade reduzida de responder a infecções ou estresse.

Este é um dos mais aguardados estudos sobre o envelhecimento em cães e oferece uma nova visão sobre como podemos ajudá-los nessa idade. "Agora sabemos que os cães sofrem de inflamação de baixo nível e danos nas células à medida que envelhecem, semelhante aos humanos", diz Janet Alexander, Cientista Sênior de Pesquisa no Centro de Nutrição e Bem-Estar WALTHAM™ e principal autora do estudo."O estudo identificou múltiplos alvos para intervenção terapêutica, seja para amparar ou atrasar os reflexos do envelhecimento, e que novos conhecimentos podem nos ajudar a proporcionar um apoio mais eficaz nesta fase da vida".

O estudo observou 80 cães por mais de 10 anos e mediu uma série de parâmetros para acompanhar o processo de envelhecimento, tendo início quando os cães eram adultos e se encerrando no fim da vida de cada cão. Alguns resultados adicionais incluem:

  • Aumento de 51% em danos no DNA. O estudo mostrou um aumento de 51% nos níveis de 8-hidroxdeoxiganosina (80HDG), que é um marcador específico de dano oxidativo ao DNA.

  • Aumento de 30% na proteína C-reativa (PCR). Os níveis de PCR aumentarão em resposta à inflamação, mostrando que os cães em envelhecimento podem ter níveis maiores de inflamação.

  • Diminuição de 86% nas proteínas de choque térmico (HSP70). HSP70 mede a capacidade de responder ao dano celular, e este estudo mostra uma diminuição significativa dessa capacidade à medida que os cães envelhecem.

Confira neste link estudo na íntegra: "Understanding How Dogs Age: Longitudinal Analysis of Markers of Inflammation, Immune Function, and Oxidative Stress"

Pesquisa sobre os tutores de animais idosos

Uma recente pesquisa da Mars Petcare analisou como os tutores de cães do mundo todo cuidam de seus animais de estimação idosos e descobriu que:

  • 1 em cada 5 tutores de cães atualmente possui um cão idoso.

  • A maioria dos tutores de cães altera os cuidados à medida que os pets ficam mais velhos (76%), seja mudando os alimentos (58%) ou levando-os para caminhadas mais curtas (54%).

  • Enquanto os tutores de cães idosos não consideram muito mais difícil cuidar de seus animais de estimação do que os tutores de cães mais novos (29% vs 25%), 65% valorizariam mais as informações do Médico-Veterinário sobre como cuidar de seu cão idoso.

  • Informações sobre nutrição (68%) e quantidade de exercício (57%) são assuntos que os tutores de cães idosos gostariam de saber mais.

A pesquisa sobre como os tutores de cães do mundo todo cuidam de seus animais de estimação idosos ocorreu de 4 a 12 de outubro de 2017, com 6.298 pessoas, maiores de 18 anos, que possuíam pelo menos um cão em suas casas.

Os entrevistados se dividiam nos seguintes países: 1.046 do Reino Unido; 1.103 dos EUA; 1.049 da Austrália; 1.049 da França; 1.050 do Japão e 1.001 da Argentina. Em cada país, os que possuíam cães foram questionados ​​via online e extraídos de uma amostra nacionalmente representativa da população adulta.

#caoidoso #pesquisapet

0 visualização

Editora

Editora Share Publicações Segmentadas Ltda
CNPJ: 24.039.946/0001-20

Revista

Logo vetshare site.jpg

Canal

Logo Panorama V&S ok -_POSITIVO.png